Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Quem circular pela primeira vez por uma cidade portuguesa, poderá pensar que inventámos um sistema engenhoso para duplicar os lugares de estacionamento: como tanta gente deixa os carros mal parados, deve haver alguma forma de estes se afastarem sozinhos quando necessário. Ou pelo menos de enviar um sinal automático aos condutores, que em questão de segundos aparecem para os afastar.

Estará, porém, completamente enganado. A verdade é que os portugueses estacionam onde lhes apetece, porque se estão a borrifar para os outros. Em vez de perder uns minutos à procura de um lugar válido, preferem ser indulgentes e egoístas, e sujeitar os outros a esperar por eles. Além de bloquearem os carros que estão bem estacionados, obstruem a via pública, causando embaraços escusados aos outros condutores.

Os especialistas neste estacionamento vale-tudo são naturalmente os Cretinos, os Chico-espertos, e os Profissionais mete-nojo. Estes últimos fazem ainda questão de lhe dizer muito ofendidos, quando voltam finalmente para lhe desobstruir o caminho: "ó amigo, eu estou a trabalhar!". Atentemos nesta mentalidade: como ele está a trabalhar, você tem a obrigação de esperar por ele. Pouco importa que esteja também a trabalhar, ou que tenha de levar alguém ao hospital durante um ataque cardíaco: qualquer motivo é irrelevante, porque ele "está a trabalhar".

Quanto aos restantes, nem sequer fingem ter razão: são sacanas comodistas e desprezíveis, que não se importam de andar quilómetros dentro de um centro comercial, mas são incapazes de caminhar mais de três metros desde o carro até onde precisam. Quer vão comprar o jornal ou fazer uma cirurgia dentária, têm de deixar o carro mesmo em frente à porta.

Não admira que Portugal seja atrasado: qualquer sociedade assenta no respeito pelos outros, e isso é uma doença rara neste país. Em nome da nossa sociedade, e da nossa pachorra, é preciso fazer algo para impedir estes palhaços de deixar o carro em segunda fila. A solução natural seria chamar a polícia, mas como lhes dá mais trabalho do que estar sentados a passar multas, não se pode contar com eles. Sugiro pois que tome medidas por si próprio:

1. Quando estacionar, deixe sempre um papel claramente visível: "AVISO: se me bloquear o carro, parto-lhe a boca toda. A sério." - e cumpra.

2. Se for a andar a pé e vir um carro parado em 2ª fila, sem ninguém lá dentro, aguarde durante um minuto. Se o condutor não aparecer, utilize a técnica dos arrumadores despeitados: com uma chave, deixe um belo risco de uma ponta à outra. Escreva "MAL ESTACIONADO!" no final, para não haver dúvidas. Alguns portugueses só aprendem quando a lição lhes chega ao bolso.

Se todos tomarmos estas medidas, a praga dos estacionamentos em segunda fila há-de ser erradicada. Ou, em alternativa, os dentistas e os pintores de automóveis vão passar a ter muitos novos clientes. Mesmo muitos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor